Comunidades Catalisadoras

Sediada no Rio de Janeiro, a Comunidades Catalisadoras (ComCat) é uma organização sem fins lucrativos de empoderamento, comunicação, centro de estudos e defensora de favelas, que opera como uma rede colaborativa pequena e adaptativa, trabalhando para apoiar e empoderar moradores de assentamentos informais de forma geral, e no contexto local, as favelas. Nós evoluímos em conformidade com as necessidades dos moradores das favelas e de seus líderes. Hoje, a ComCat tem três programas principais que focam em inovações nas áreas de comunicação, capacitação e direito à terra em favelas. Cada programa foi projetado para desenvolver soluções para o Rio de Janeiro que também possam auxiliar mobilizadores comunitários ao redor do mundo. O primeiro, o RioOnWatch, nosso premiado site de notícias comunitárias, tem exitosamente mudado a narrativa sobre assentamentos informais no Brasil e no mundo, oferecendo um novo modelo de produção de mídia que tem sido estudado e replicado em outras partes do mundo. O segundo, a Rede Favela Sustentável (RFS), é uma rede de iniciativas de sustentabilidade e resiliência em favelas de toda a região metropolitana. A RFS já mapeou 111 iniciativas, que participarão de um grande intercâmbio em outubro/novembro desse ano, e, entre elas, selecionamos 10 inciativas para uma série de intercâmbios menores, a ocorrer em setembro, visando o fortalecimento dos projetos, além de estarmos desenvolvendo o Indicador da Favela Sustentável, que se baseará em medidas de pegada ambiental, bem-estar e serviços básicos para que comunidades possam se auto-avaliar e demandar políticas públicas que permitam que elas se desenvolvam de forma verdadeiramente sustentável. Por último, o Termo Territorial Coletivo (TTC), que tem o potencial de oferecer um modelo de segurança fundiária para assentamentos informais em todo o mundo, ao permitir que moradores tenham propriedade individual de suas casas, ao mesmo tempo que tenham propriedade coletiva da terra sob as casas e que possam administrar essa terra em perpetuidade. No momento estamos desenvolvendo uma proposta legislativa para tornar esse modelo viável no Brasil e estamos realizando oficinas com favelas no Rio de Janeiro com interesse em estabelecer um Termo Territorial Coletivo piloto.